Blog da Paulinha

Críticas, Dicas, Vídeos, Notícias, Receitas...

24.5.11

Curiosidades da História

Postado por Paula R. Cardoso Bruno |

Dom Pedro I era amante insaciável
A partir dos 16 anos, dom Pedro I adquiriu fama de amante insaciável. Os nobres portugueses e ricos brasileiros escondiam as filhas quando o príncipe passava. A primeira da série de incontáveis amantes foi a bailarina francesa Noémi Thierry, com quem ele teve um filho (natimorto), antes que a Corte enviasse a moça de volta a Paris. A grande paixão de sua vida, entretanto, foi Domitila de Castro, a qual o nobre deu o título de marquesa, além de quatro filhos.

Rio Grande do Sul é o estado que mais presidentes elegeu O Rio Grande do Sul foi o estado brasileiro que mais presidentes da República elegeu, direta ou indiretamente. Foram seis: Hermes da Fonseca, Getúlio Vargas, Arthur da Costa e Silva, Emílio Garrastazu Médici e Ernesto Geisel. João Goulart assumiu o cargo, como vice-presidente, com a renúncia de Jânio Quadros. 

Antônio Conselheiro morreu de diarréia
Ao contrário do que se diz, Antônio Conselheiro, o líder de Canudos, não morreu de ferimentos recebidos na batalha travada para defender seu reduto de Belo Monte. A causa foi uma prosaica diarréia que o desidratou antes do massacre final praticado pelas forças federais, que decapitaram seu cadáver para levar a cabeça como troféu.

Século XX tem história viva e arquivada pelo Cinema
O cinema completou 100 anos em 1995 com grandes festas porque deu início a uma nova era. Antes dele, nada do passado sobrava com vida, a não ser o que sugeriam as estátuas, as pinturas e as fotografias. Imagens mudas e estáticas que não contam muito sobre as pessoas. Ninguém sabe como Jesus sorria, como Galileu falava, Beethoven tocava piano ou como Goethe empunhava a caneta para escrever. Mas a história deste último século está viva, com movimento e som nos filmes e nas fitas de vídeo.

Retrato desconhecido de Tiradentes
Na polêmica sobre o que é mito ou verdade no episódio da Inconfidência Mineira, está o retrato de Tiradentes. Para dar mais autenticidade ao toque do martírio, foi inventado um alferes de barba, parecido com Cristo, quando nem mesmo a sua fisionomia se conhece. Tiradentes só foi reabilitado como herói a partir de 1870, quando começou a propaganda republicana. Todos os retratos a ele atribuídos, com barbas ou sem barbas, foram pintados a partir do fim do Império.

Segundo país do mundo a adotar selos foi o Brasil
O Brasil destaca-se na história dos serviços postais por ter sido o segundo país do mundo a emitir selos. O primeiro foi a Inglaterra. Em 1840, o governo britânico emitiu o selo de um penny, valor da menor moeda britânica em circulação. Trazia a efígie da Rainha Vitória. O selo brasileiro começou a circular dois anos depois, por determinação do imperador Pedro II. Tinha o nome de olho-de-boi. Foi emitido com os valores de 30, 60 ou 90 réis, conforme se destinasse a selar correspondência para a mesma cidade, o país ou o exterior.

Adição de álcool à gasolina é obrigatória no Brasil desde 1931
A adição do álcool à gasolina não é recente no Brasil, como se supõe. Foi tornada obrigatória por decreto de 1931, na proporção de 5 por cento. Ao tempo da Segunda Guerra Mundial, a percentagem chegou a elevar-se até 60%, baixado depois para uma média de 2,5 por cento. Foi a partir de 1971 que o teor mínimo de 16,2% tornou-se obrigatório, elevando-se posteriormente até atingir os 24 por cento de hoje. O Rio Grande do Sul é o único Estado da Federação que não usa o álcool como aditivo. Por estar muito distante das destilarias, o que encareceria o produto, obteve a permissão legal de trocá-lo pelo mtbe, que produz em seu pólo petroquímico de Triunfo.

Os campeões de permanência no poder
O governante que mais tempo se manteve no poder no mundo ocidental foi o rei Luís XIV, manteve-se no trono durante 72 anos. Seguindo o monarca francês vem Francisco José, do Império Austro-húngaro, que reinou 68 anos. Em terceiro lugar está Vitória, rainha da Grã-Bretanha, que ostentou sua coroa por 64 anos.

Descobrimento do Brasil
A primeira pessoa a se interessar pela questão da casualidade ou intencionalidade do descobrimento do Brasil foi o imperador Pedro II. Em 1849, consultou a respeito o Instituto Histórico e Geográfico do Brasil. A resposta foi formulada no ano seguinte por Joaquim Norberto de Souza Silva, defendendo a tese da intencionalidade.

Os primeiros escravos no Brasil
Os primeiros escravos negros foram trazidos para o Brasil em 1538 por um certo Jorge Lopes Bixorda. Calcula-se que, desde então e até 1865, quando o tráfico foi finalmente proibido, entraram no país cerca de 15 milhões de escravos.

Introdução da iluminação pública
A primeira cidade a ter iluminação pública na América Latina foi Campos, Estado do Rio de Janeiro. As luzes de suas ruas acenderam-se no dia 24 de julho de 1883. A segunda cidade brasileira a substituir os lampiões de gás foi Juiz de Fora, Minas Gerais, em 5 de setembro de 1889.

Os primeiros cursos de Direito do País
11 de agosto de 1827, foi neste dia que Dom Pedro I promulgou a lei que criou os dois primeiros cursos superiores do País, que ofereciam formação jurídica. Até então, os brasileiros e os filhos de portugueses que desejassem prosseguir os seus estudos de 3º grau precisavam ir à Europa. Os locais escolhidos para sediar as faculdades foram a Faculdade do Largo São Francisco em São Paulo e, em Olinda, o convento de São Bento. Hoje, a Faculdade de Olinda está no Recife e pertence à Universidade Federal de Pernambuco. Já em São Paulo, a Faculdade de Direito foi incorporada, em 1935, ao núcleo inicial da atual Universidade de São Paulo. Briga eterna: saber qual das duas foi a primeira faculdade do Brasil. Embora criadas pela mesma lei, os pernambucanos dizem que a deles é a mais antiga porque Dom Pedro I esteve lá antes de visitar a de São Paulo. Enquanto isso, em São Paulo, dizem que a faculdade mais antiga é a do Largo São Francisco porque lá foi ministrada a primeira aula, a aula inaugural dos Cursos Jurídicos no País, no dia 1º de março de 1828, às 4 h da tarde.

 Os 18 nomes de dom Pedro
Dom Pedro I devia ter grande dificuldade em lembrar de seu nome completo, pois ele era composto por 18 palavras. O imperador se chamava Pedro de Alcântara Francisco Antônio João Carlos Xavier de Paula Miguel Rafael Joaquim José Gonzaga Pascoal Cipriano Serafim de Bragança e Bourbon. Para o filho não ter o mesmo problema, dom Pedro II foi batizado com apenas 15, Pedro de Alcântara João Carlos Leopoldo Salvador Bibiano Francisco Xavier de Paula Leocádio Miguel Gabriel Rafael Gonzaga.

 Cheques foram criados para proteger patrimônio de ordem cristã A substituição de moedas por cheques foi feita pela primeira vez pelos Cavaleiros Templários, uma ordem formada por monges guerreiros, criada para defender Jerusalém dos chamados "infiéis", que matava e pilhava em nome de Deus. Com o tempo, os Templários foram adquirindo grandes riquezas, sendo alvos constantes de roubos e ataques durante suas viagens. Para proteger seu patrimônio, eles criaram um documento que poderia ser trocado por moeda corrente com os companheiros de outras cidades, o cheque.

 As grandes, e imundas, navegações
Os navios usados nas grandes navegações eram verdadeiros lixões flutuantes, pois as condições de higiene da época não proporcionavam possibilidade de se manter as naus limpas. Os porões eram infestados por ratos e baratas que se multiplicavam a cada dia, sendo esses os locais escolhidos pelos tripulantes para fazer suas necessidades já que o enjôo marítimo dificultava a subido ao convés. Além disso, havia uma moléstia muito comum aos marinheiros chamada de escorbuto, doença causada pela carência de vitamina C, que causava enfraquecimento geral, hemorragias diversas, hálito fétido e inchaço e sangramento nas gengivas. Os marinheiros precisavam conviver a bordo com os doentes até encontrar um lugar para atracar. O que se fazia com toda essa sujeira? A solução para melhorar o cheiro e condições da embaacação era uma só, desinfetar os cômodos à base de vinagre.

Fonte

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe seu comentário.

Subscribe