Blog da Paulinha

Críticas, Dicas, Vídeos, Notícias, Receitas e tudo mais.

17.5.11

Intolerância a Lactose, por Dra. Roberta Escolástico

Postado por Paula R. Cardoso Bruno |

Mais uma terça chegou e com ela mais uma dica da Doutora Roberta Escolástico. 

Formada pela Formada pela Universidade Federal da Bahia, ela atua no tratamento da obesidade e controle de peso em pessoas de todos os sexos e idades.

Aproveitem as suas dicas.

Espero que vocês gostem.
Paulinha 



Intolerância a Lactose

O que é?



É o termo utilizado para pessoas que não conseguem digerir produtos lácteos (leite e seus derivados). Esta impossibilidade de digestão geralmente ocorre em pessoas que não produzem a enzima lactase ou produzem-na em quantidade insuficiente para realizar a digestão da lactose. A maioria das populações têm uma perda progressiva da capacidade de absorção da lactose que inicia-se após os primeiros anos de vida.

O que é lactose e lactase?

A Lactose é o açucar do leite, um dissacarídeo que com a ação da enzima lactase, tranforma-se em dois monosacarídeos: glucose e galactose. Estes carbohidratos simples, após formados, são facilmente absorvidos pelo corpo. No entanto, a falta ou deficiência na produção da lactase faz com que a lactose chegue até o intestino grosso sem ser absorvida pelo organismo. Ela é fermentada por bactérias causando gases e sintomas típicos de indigestão.

Quais são os sintomas?



Os sintomas mais comuns são a diarréia (ou à vezes constipação), distensão abdominal, gases, náusea e sintomas de má digestão. A severidade dos sintomas dependerá da quantidade de lactose ingerida assim como da quantidade de lactose que seu organismo tolera.

Como descobrir?

Em primeiro lugar é muito importante ressaltar que existem níveis de intolerância, pois a quantidade de enzima lactase produzida pelo corpo varia de pessoa para pessoa. Algumas pessoas possuem uma deficiência mínima na produção da enzima, ao passo que outras não a produzem. Isto irá afetar o seu nível de intolerância.

Quais os exames que detectam?





1. Tolerância à lactose: a lactose depois de digerida produz duas moléculas: a glicose e a galactose. Para fazer este teste o paciente ingere em jejum um líquido com dose concentrada de lactose e durante duas horas obtém-se várias amostras de sangue para medir o nível de glicose, que reflete a digestão do açúcar do leite. Se a lactose não é quebrada, o nível de glicose no sangue não aumentará e, conseqüentemente, o diagnóstico de intolerância à lactose será confirmado. Este exame não é indicado para crianças pequenas.
2. Inalação de hidrogênio: este exame mede a quantidade de hidrogênio expirado, que em situações normais é bem pequena. O quadro é diferente quando as bactérias do intestino grosso fermentam a lactose (que não foi digerida) e produzem vários gases, incluindo o hidrogênio, que por sua vez é absorvido e chegando aos pulmões e é exalado. Para fazer o exame, o paciente ingere uma bebida com dose concentrada de lactose e o hidrogênio expirado é medido em intervalos regulares. Níveis elevados de hidrogênio indicam uma digestão inadequada da lactose. Este exame não é indicado para crianças pequenas. Se um bebê ou criança muito pequena manifesta sintomas de intolerância à lactose aconselha-se trocar o leite de vaca pelo de soja e observar os sintomas.
3. Deposição de ácidos : trata-se de um exame indicado tanto para crianças pequenas como para crianças maiores. A lactose não digerida é fermentada pelas bactérias do intestino grosso e produzem ácido láctico e ácidos graxos de cadeias curtas e ambos podem ser detectados em uma amostra de deposição.
4. Exame Genético: este é um exame novo, que promete ser a melhor forma de diagnosticar a intolerância à lactose pois é rápido e não produz sintomas desagradáveis como no caso do exame de ingestão de lactose. Neste exame o paciente retira uma pequena amostra de sangue e seu DNA é estudado para verificar se há mutação em relação à produção da enzima lactase. O resultado sai em 5 dias.
Como tratar?
Não existe cura para a intolerância à lactose, mas é possível tratar os sintomas limitando, ou em alguns casos, evitando produtos com leite ou derivados. Muitas pessoas com Intolerância a Lactose conseguem ingerir leites deslactosados e outros produtos com baixo teor de lactose sem sentir os sintomas da intolerância à lactose. Com o passar do tempo e uma adaptação aos hábitos alimentares, cada pessoa pessoa aprenderá sobre quais alimentos lácteos poderá ingerir sem sentir sintomas.
Uma outra opção bastante comum é o uso de cápsulas de lactase, um suplemento alimentar que auxilia na digestão da lactose.
Reposição de cálcio
Uma das maiores preocupações para pessoas com intolerância à lactose é adotar uma dieta que suplemente os nutrientes encontrados no leite, principalmente o cálcio. Cerca de 70% do cálcio da alimentação humana vêm do leite e seus derivados. Por esta razão, é importante, na medida do possível, manter uma dieta com ingestão de pelo menos alguns produtos lácteos, mantendo uma quantidade que seja bem tolerada pelo seu organismo. 


Além disso, é importante a orientação de um nutricionista para auxiliá-lo na readequação de seus hábitos alimentares.

Receita sem lactose


Quiche de frango




Essa receita de quiche vai fazer sucesso garantido. A quiche pode ser servida com uma salada de verdes, na refeição, em festas de aniversário ou apenas como um lanche da tarde. Além disso, você também poderá criar sua própria versão adicionando outros ingredientes ao recheio. Aprenda a fazer!


Ingredientes:


Para a massa:

  • 2 xícaras de farinha de trigo (240 g)
  • 1 colher de chá de sal (4 g)
  • ¾ xícara de creme vegetal (125 g)
  • 4 a 5 colheres de sopa de água gelada (até dar o ponto da massa)
Para o recheio:
  • 1 colher de sopa de óleo (15 ml)
  • 1 cebola pequena picada em cubinhos (100 g)
  • 1 peito de frango cozido e desfiado (250 g)
  • 1 lata de tomate pelado picado (com o molho) ou 3 tomates sem pele e sem sementes picados em cubos (250 g)
  • pimenta do reino moída na hora
  • 3 ramos de salsinha picada
  • 1 colher de sopa de sal (15 g)
  • 4 colheres de sopa cheias de leite sem lactose (52 g)
  • 2 ovos (120 g)
  • 1 gema (16 g)
Preparo:
Prepare a massa: misture a farinha junto com o sal em uma tigela grande. Adicione o creme vegetal e trabalhe com as pontas dos dedos  até obter uma farofa. Acrescente a água gelada, aos poucos, e mexa até formar uma massa macia (não trabalhe demais). Enrole-a em filme plástico e leve à geladeira por cerca de 30 minutos.
Enquanto isso, prepare o recheio: Aqueça uma panela grande e adicione o óleo. Acrescente a cebola e refogue-a em fogo médio-baixo por cerca de 3 minutos ou até começar a ficar transparente. Adicione o frango e mexa mais um pouco. Adicione o tomate, mexa e tempere com pimenta e sal (1/2 colher de sopa). Desligue o fogo, adicione a salsinha e deixe esfriar.
Em uma outra vasilha, dilua o leite sem lactose em 2 xícaras de água (400 ml), acrescente os ovos, a gema, o restante do sal e mexa bem. Reserve.
Monte a quiche: abra a massa com um rolo entre dois sacos plásticos grandes (dessa maneira ela não grudará na superfície de trabalho). Cubra uma forma refratária para quiche de 25 cm de diâmetro com a massa.
Pré-aqueça o forno na temperatura média (180°C).
Coloque por cima da massa o refogado de frango já frio e por cima deste a mistura de leite sem lactose com ovos. Asse por cerca de 1 h e 10 minutos ou até a superfície começar a ficar dourada. Sirva em seguida.

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe seu comentário.

Subscribe