Blog da Paulinha

Críticas, Dicas, Vídeos, Notícias, Receitas e tudo mais.

6.6.11

Doenças no Inverno, mesmo não estando nele?

Postado por Paula R. Cardoso Bruno |

A queda de temperatura anuncia a chegada de uma temporada pouco confortável para muita gente. É a época dos espirros, tosses e de outras consequências desagradáveis. São as chamadas doenças de inverno, ou seja, males que atacam com mais agressividade nos meses mais frios do ano: Gripes, Resfriados, Rinite, Asma, Bronquite, Infecções respiratórias.

Resfriado  
O QUE É
Infecção diferente da gripe. Em geral, é causada pelo adenovírus e o rinovírus. Mas existem cerca de 200 variações de microorganismos que dão origem ao resfriado.

SINTOMAS 

Ataca principalmente o nariz e a garganta. Espirros, coriza e tosse. A recuperação acontece em dois ou três dias.


PREVENÇÃO

Exercícios regulares, boa alimentação e descanso. Evite lugares fechados e cheios. 
Gripe

O QUE É

Infecção respiratória causada pelo vírus influenza tipos A e B e altamente contagiosa.

SINTOMAS

Variam conforme mutações sofridas pelo vírus na temporada. Em geral, há um cansaço extremo, febre por dois ou três dias, dores no corpo, de cabeça e na garganta, coriza. A melhora ocorre depois de três ou cinco dias.

PREVENÇÃO

Boa alimentação, beber muita água, fazer exercícios e dormir bem. A vacina também reforça a imunidade.

Asma

A ASMA é caracterizada pela inflamação, inchaço e estreitamento dos brônquios, o que dificulta a passagem do ar. A asma é considerada uma doença inflamatória, com vários fatores desencadeantes, como substâncias ou produtos que irritam as vias aéreas (pó, produtos de limpeza, perfumes, etc.), infecções virais, atividade física intensa e até fatores emocionais. Os sintomas mais frequentes durante uma crise de asma são a tosse, o chiado na expiração, a falta de ar e a sensação de aperto ou opressão no peito, podendo variar de intensidade conforme cada caso. É comum um quadro de asma ter início com crises leves, de pouca duração, que cedem facilmente. A cada inverno, no entanto, os ataques podem tornar-se mais intensos e demorados, até se tornarem contínuos. Existem tratamentos que podem ser aplicados no momento da crise e outros como preventivos, podendo também ser combinados. Os medicamentos disponíveis são bronco dilatadores e anti-inflamatórios ou corticosteróides, além de outras abordagens não medicamentosas. Embora o ataque não seja muito intenso se tratado adequadamente, existem casos em que a crise pode ser fatal, especialmente em pacientes cardíacos e grávidas. 
Bronquite
A BRONQUITE é facilmente confundida com a asma. é uma inflamação dos brônquios e bronquíolos, que provoca um inchaço na mucosa e dificulta a passagem do ar. Em decorrência disso, produz-se o chiado à inspiração e expiração características da doença. A tosse e a produção crônica de secreção são marcantes. As origens da bronquite podem variar desde as mais comuns, como a gripe, até o cigarro, a poluição e a inalação de gases tóxicos. Nas crianças, que ainda não desenvolveram um sistema imunológico satisfatório, as crises de bronquite geralmente surgem uma atrás da outra, mas o problema agrava-se quando o processo inflamatório fica crônico. A chamada bronquite crônica caracteriza-se por expectoração em pelo menos três meses por ano, em dois anos consecutivos. 

Pneumonia

A PNEUMONIA tem origem a partir de infecções virais, bacterianas ou alérgicas. Quase metade dos quadros de pneumonia é causada por vírus. A maior parte deles ataca o aparelho respiratório superior e suas vítimas preferidas são as crianças. Os pulmões sofrem um processo inflamatório e o espaço ocupado pelo ar é preenchido por líquido e pus. Assim, o oxigênio encontra dificuldade em atingir o sangue e, dependendo da gravidade, a pneumonia pode ocasionar a falta de ar. Dentre os sintomas mais comuns estão a febre alta, a tosse com fortes dores no peito, catarro e dificuldades para respirar. 
Rinite Alérgica

A RINITE ALÉRGICA normalmente é causada após o contato com poeira, mofo, cheiros fortes, produtos químicos, cigarro, mudanças de temperatura e umidade. O quadro de rinite tem evolução crônica, com períodos de melhora e piora. Os sintomas vão desde coriza, espirros, coceira no nariz até obstrução nasal. O tratamento da rinite pode ser feito com soro fisiológico, antialérgicos, corticosteróides nasais e controle dos fatores ambientais que desencadeiam as crises alérgicas.  

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe seu comentário.

Subscribe