Blog da Paulinha

Críticas, Dicas, Vídeos, Notícias, Receitas...

5.3.12

Comer ou não comer? Eis a solução!

Postado por Paula R. Cardoso Bruno |


Vamos começar entendendo o que é a obesidade ou sobrepeso. É algo muito simples. 

Toda vez que gastamos certa quantidade de energia e ingerimos mais do que isso, começa a sobrar. A sobra de energia é, sabiamente, depositada sob a forma de gordura. Simples assim. Por que eu disse 'sabiamente'? Você poderiam dizer: "Mas por que armazenar o que sobra?"

Se essa energia não fosse armazenada, não haveria obesidade! Então, vamos saber o por quê nosso corpo armazena 'sabiamente' a energia que sobra, invés de descartá-la.

 
Vamos imaginar que não houvesse esse armazenamento. Gastamos 1500 calorias, ingerimos 2000 e nosso corpo joga fora as 500 calorias que sobraram. Ok. Aí, um belo dia, você tem uma gripe, febre ou infecção qualquer. Isso para ser otimista, porque, Deus me livre, mas pode ser um acidente, um atropelamento, uma doença mais grave. Todas essas situações requerem mais trabalho do corpo, ou seja, mais energia. Sim, porque nada no nosso corpo acontece sem energia! 

Aí, você ingere as mesmas 2000 calorias e, numa eventualidade, gasta 2500. Aiiiii...e agora?! Agora você vai conversar com Jesus cara a cara, porque não tem nada na poupança para usar nessa emergência, uma vez que todas as sobras forma descartadas. É assim que tudo acontece. É por isso que o nosso corpo, sabiamente, guarda a energia que sobra. 'Apenas' para manter a vida, quando há alguma eventualidade. Então, nossa única tarefa é manter o peso na medida ideal e ingerir tantas calorias quantas estivermos gastando, se já estivermos no seu peso adequado. Se o gasto for menor que a ingestão, está feito o sobrepeso.

Você pode continuar ingerindo tantas calorias quanto quiser, mas precisa gastá-las. Simples assim, de novo! Mas, se você só tiver capacidade de gastar 1500 calorias, trate de ingerir apenas 1500 calorias. Difícil? Por quê? Sim, essa é a pergunta: "Por que eu não consigo ingerir apenas as calorias que eu necessito para manter o equilíbrio do meu corpo?" As respostas, cada um de nós é que tem as suas. Muitas podem ser iguais ao do seu vizinho, mas, tantas outras, são particulares a cada um.

Vou tentar ajudar você. 

Você já deve ter ouvido falar que o ideal é fazer refeições a cada 3 horas para não ter tanta fome na refeição seguinte, não? Pergunta: "Por que eu não sigo essa recomendação tão simples que, invés de me privar do alimento, me alimenta?" Ah! Existem mil explicações, para não dizer 'desculpas' para não comer várias vezes ao dia. Agora mesmo está passando uma pela sua cabeça: "não tenho tempo", "esqueço", "não tenho nada saudável na hora", e blá, blá, blá.

Mas eu arrisco uma hipótese, que talvez, você não tenha pensado: "Eu não como nos intervalos entre as refeições, porque eu não sei qual a real importância disso para o meu corpo" Então, vamos aprender, definitivamente, o porquê é tão importante ingerir alimentos a cada 3 horas. Os bebês nascem sabendo, mas a gente esquece com o passar do tempo.

Três horas é o tempo que nosso corpo leva para digerir, absorver, transportar e utilizar o que comemos. Depois desse tempo, é preciso abastecer novamente, como fazemos ao colocar combustível no carro. O carro, sem combustível, pára e pronto. Mas nosso sábio corpo, diminui o gasto e retira das RESERVAS (aquelas que ele guardou quando sobrou) a energia que precisa. A má notícia é que se isso acontece com muita frequência, ocorre uma grande confusão metabólica. Não podendo prever quando receberá seu combustível (o alimento), passamos a gastar cada vez menos energia e, por isso, passa a sobrar cada vez mais para engordar os depósitos de gordura.

E isso não é tudo. Tem ainda os picos de hipo e hiperglicemia que são situações que, além de deixar você cansado, indisposto, sonolento e com baixo rendimento, ainda pode desequilibrar a liberação de insulina e o controle da glicemia, a longo prazo, causando doenças metabólicas.

Então, vamos combinar, nosso único trabalho é comer! Simples assim!

Fonte: Meu Nutricionista

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe seu comentário.

Subscribe